Homilía de Mons. João Clá Dias na Igreja de Nossa Senhora do Rosario

É sobre a bondade trazida por Cristo, mediador da Nova Aliança, que faz menção a belíssima leitura deste dia, comentada por Mons. João S. Clá Dias.

Este comentário da liturgia, feito por Monsenhor João Clá Días, nos convida à prática da palavra de Deus, segurança de vida eterna.

Roma, 14 de setembro de 2008 (Arautos do Evangelho) – Hoje de manhã, Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP, fundador e presidente-geral de Arautos do Evangelho, associação internacional de fiéis de direito pontifício, foi admitido no Cabido Liberiano da Basílica Papal de Santa Maria Maior.
Mons. João Clá Dias, EP, foi criado cônego honorário da referida Basílica Papal, por Bula do Papa Bento XVI, tendo sido admitido perante o Cabido, presidido pelo arciprestre, o Emmo. Cardeal Francis Bernard Law, numa solene cerimônia realizada às 9:00 na Capela Sforza. Em seguida, procedeu-se à Celebração Eucarística, no altar papal, presidida pelo Emmo. Cardeal Law e concelebrada por Mons. João Clá, pelos membros do Cabido Liberiano e numerosos sacerdotes. Os fiéis lotaram completamente a grandiosa Basílica para assistir à celebração da Eucaristia.
A origem do Cabido Liberiano remonta ao século XII, contando atualmente com 31 Cônegos, 7 dos quais são honorários. Por tratar-se de uma Basílica Papal, os membros do Cabido são criados pelo Sumo Pontífice, sendo-lhes conferida a dignidade de Protonotários Apostólicos supranumerários.
Santa Maria Maior é uma das quatro basílicas papais de Roma, junto com a de São Pedro, São João de Latrão e São Paulo Extramuros. A construção iniciou-se no ano de 360, por iniciativa do Papa Libério, mas quem lhe deu um impulso decisivo foi o Papa Sixto III, no século V, pouco depois de ter sido definido o dogma da Maternidade Divina da Santíssima Virgem, no Concílio de Efeso.
Nesta histórica e belíssima basílica, encontram-se expostas à veneração dos fiéis algumas das mais veneráveis relíquias da Cristandade: as tábuas da Manjedoura do Presépio, em que repousou Jesus Menino na noite de Natal.
Uma das interessantes características de Sta. Maria Maior é a de ter o campanário mais alto de Roma, com cerca de 75 m de altura.

Importantes personalidades brasileiras são entrevistadas pela TV Arautos, no 33º aniversario do falecimento de São Josemaria Escrivá de Balaguer

.
São Paulo
, (TV Arautos).- Para o vigário regional da Opus Dei no Brasil, Monsenhor Vicente Ancona López, o fato de São Josemaria ter arrebatado um grande rebanho para a Igreja Católica e mostrar que é possível colocar Deus nas coisas que fazemos no nosso dia-a-dia, tornou o processo de canonização mais rápido.
“Os mil sacerdotes que havia no Opus Dei naquela época não era o mais importante porque havia já 60 mil leigos, muitos vivendo o celibato apostólico, outros no matrimônio mas todos empenhados em serem santos. Então era um resultado muito tangível da eficácia da vida dele. Também ele era muito conhecido no meio do clero e naquela altura, todos os processos de beatificação tinham outro procedimento e os bispos pediam, solicitavam através de cartas postulatórias e o papa Paulo VI  recebeu entre 800 e 900 cartas postulatórias de dois ou três mil bispos que haviam na Igreja naquela época e era um número realmente muito expressivo. Isso deu um impulso inicial muito grande ao processo de santificação. A Santa Sé estudou com enorme cuidado e realmente teve um desenvolvimento mais ou menos rápido”, explica  Monsenhor Ancona.
Dom Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo, ressaltou o trabalho evangelizador que São Josemaria realizou durante a vida sacerdotal. “É uma necessidade muito premente da Igreja dos nossos tempos de permear com sua presença, através da presença dos leigos sobretudo, a sociedade, as estruturas de vida, de organização da sociedade e a santificação da vida diária, a santificação dos ambientes através da presença dos cristãos. Por isso ele teve também muito êxito e sinal da benção de Deus para esta obra e essa iniciativa que continua a produzir frutos bastante importantes para a Igreja”, concluiu o arcebispo.
jurista Yves Gandra Martins que é consultor em bioética da CNBB comentou que São Josemaria Escrivá deixou um legado muito grande. “Ele mostrou que qualquer pessoa pode se santificar através do seu trabalho ordinário. A grande mensagem de São Josemaria Escriva foi mostrar que nós podemos, dentro do mundo, vivendo e fazendo rigorosamente o que todas as pessoas fazem; santificarmos no trabalho ordinário”.Por último o jornalista e escritor Carlos Alberto de Franco afirmou “É uma mensagem atual porque no fundo, o cristianismo e a Igreja vão-se construíndo em grande parte, através do trabalho humano, um trabalho humano bem feito,  feito com seriedade, feito com retidão de intenção, quer dizer, um trabalho que se oferece a Deus, tem um valor transcendente, um valor imenso”.